TIPOS DE PIERCING

Navel – Umbigo
Pode-se furar a pele logo acima, abaixo ou aos lados do umbigo. É muito importante que o piercer saiba quanta pele furar e que realize um furo perfeitamente reto. Este tipo de piercing requer muitos cuidados, pois pode ser facilmente irritado pelo uso de cintos, pelas calças e saias, ou pelo fato de a pessoa se dobrar ou sentar.
Nipples – Mamilos
O mamilo normalmente é furado na horizontal, mas podem-se fazer furos também na vertical ou diagonal. Este tipo de piercing requer muita experiência por parte do piercer, visto que a medida da parte a ser furada é fundamental: o furo não deve ser feito nem muito para frente nem muito para trás, deve ser absolutamente reto e requer uma jóia com a medida adequada tanto para o mamilo ereto quanto em repouso. Ao contrário do que se pode pensar, este tipo de piercing não é doloroso, mas requer cuidados e muita higiene durante a fase de cicatrização. Uma vez cicatrizado, ele irá lhe recompensar proporcionando sensações agradabilíssimas.
Tongue – língua
É o piercing menos doloroso e mais rápido de cicatrizar. A língua pode ser furada em vários pontos, em todo o seu comprimento, mas é necessária a experiência de um bom piercer para achar o ponto mais adequado, conforme a pessoa e o seu aspecto físico. A jóia deve ser longa e ter uma determinada espessura, de modo a poder consentir um eventual inchaço da parte e a sua perfeita cicatrização.
Surface
Trata-se de um furo realizado em qualquer ponto da pele com superfície plana. Sendo um tipo de piercing recente, é necessário contatar um profissional com absoluta experiência, capaz de identificar a posição e a dimensão adequada para evitar inflamações e crises de rejeição.
Ear – Orelha
É o piercing mais comum em absoluto na nossa cultura, tanto que até poucas décadas atrás, furavam as orelhas das meninas recém nascidas com uma agulha de costura esterilizada. Atualmente, além do lóbulo, fazem-se furos em toda a cartilagem, no alto da orelha ou aos lados. Ao contrário do que se pensa, usar uma pistola para brincos (prática habitual dos que não são profissionais no campo) não é absolutamente menos doloroso e é certamente muito mais perigoso para os riscos de infeção. O furo no lóbulo pode ser alargado com jóias especiais que podem alcançar grandes dimensões.
Labret – Lábios
É possível furar o lábio inferior (mais comum) ou o superior, mas é muito importante que o piercer saiba aconselhar bem sobre a posição com base na forma da sua boca. É fundamental também o uso de uma jóia de comprimento e diâmetro adequados ao furo. De fato, os lábios poderiam inchar-se e portanto a jóia deve ter um comprimento adapto da barra que lhe permita de inchar-se sem inflamar a pele, que caso contrário ficaria apertada dentro de uma jóia curta demais. Da mesma forma, o diâmetro da barra deve ser adequado para que oponha a resistência correta á pele que inevitavelmente procurará fechar-se e englobar a jóia.
Septum – Septo nasal
Fura-se a parte de pele que se encontra logo abaixo da cartilagem nasal, entre as narinas. Também este piercing requer um período muito longo de cicatrização e muitos cuidados.
Eyebrow – Sobrancelhas
Este piercing pode ser aplicado em todo o comprimento do arco da sobrancelha, furando no sentido horizontal ou, mais freqüentemente, vertical. A cicatrização requer muita atenção em alguns movimentos quotidianos, como esfregações ou batidas.
Nostril - Narinas
É um dos piercing mais comuns, mas poucos sabem que requer grande perícia por parte do piercer para não encontrar alguns desagradáveis problemas: posicionamento, técnica e jóias adequadas são fundamentais para um furo bem feito. Portanto, não permita a ninguém de utilizar a pistola para brincos e não use os comuns brincos de lóbulo porque são muito curtos e difíceis de desinfetar corretamente.

Os piercing genitais
O piercing nos genitais tem certamente uma valência sexual. As sensações e as emoções que pode provocar são inúmeras, mas deve-se ter bem claro que ocorrem cuidados constantes durante a fase de cicatrização. A dor é mínima, é mais uma sensação de incômodo que irá atenuar-se até desaparecer quando o piercing estiver perfeitamente cicatrizado. A dimensão, a forma e a qualidade da jóia além da sua posição, são fundamentais, especialmente neste tipo de piercing. É muito importante que o piercer tenha ótimas noções de base sobre a anatomia da parte a ser furada e uma correta abordagem psicológica.

Piercing masculinos
Prince Albert

Trata-se do piercing genital mais difundido entre os homens e é aquele que se cicatriza mais rapidamente. Deve o seu nome à lenda segundo a qual, em época vitoriana, o Príncipe Alberto tivesse aplicado um anel na ponta do pênis para segurar o prepúcio para trás e poder ter uma maior higiene pessoal para não ofender a rainha. O Prince Albert é praticado furando a base da cabeça do pênis pela uretra, e aplicando depois um anel paralelo à linha do pênis.
Frenum
Trata-se de um piercing de origem européia que tinha uma dúplice valência: de um lado, aumentar a estimulação sexual, do outro, podia ser usado para evitar relações sexuais enfiando um pequeno cadeado no furo. O frenum é realizado furando a pele do frênulo, abaixo da base do pênis. Pode-se aplicar uma barra ou um anel que passando através do furo circunda a ponta do pênis. Este é um piercing muito popular e satisfatório, requer um procedimento e uma cicatrização simples e rápidos.
Dydos
O Dydos é um piercing recente e pode ser aplicado somente em homens circuncisos. É efetuado furando a pele da margem da glande e aplicando uma barrinha. Normalmente usam-se em pares.
Foreskin
Este piercing é aplicado na pele do prepúcio e pode ser feito sozinho ou com vários piercings. Sua origem é muito antiga, aos escravos gregos e romanos era aplicado um anel na abertura do prepúcio de modo a impedir a saída da glande e garantir a castidade dos escravos. Atualmente a aplicação deste piercing é feita de modo a permitir a perfeita ereção, aumentando as sensações através da esfregação do anel na glande. Visto que a pele que é furada é muito fina, a cicatrização deste piercing é muito rápida.
Padraya
Deste piercing fala-se também no Kamasutra como sendo uma fonte de extremo prazer tanto para o homem quanto para a mulher. Trata-se de um furo que atravessa verticalmente toda a ponta do pênis onde é aplicada uma barra que sai da base do próprio pênis. É um piercing muito difícil de realizar (portanto, é necessário contatar um profissional realmente capaz!) e requer um período de cicatrização muito longo.
Ampallang
Piercing muito difundido na região do Oceano Indiano, onde é praticado como rito de iniciação ou de passagem da puberdade. Sempre aplicado na ponta do pênis, neste caso o furo é efetuado no sentido horizontal e é aplicada uma barrinha. O piercing pode ou não passar pela uretra, e se passar, a cicatrização – que de qualquer forma não é muito longa – tende a ser ainda mais rápida.
Hafada
O piercing é aplicado na pele do escroto, geralmente aos lados entre o testículo e a base do pênis. Podem-se aplicar também piercing múltiplos, colocados tanto aos lados quanto no centro do escroto. O procedimento é rápido e não é particularmente doloroso. Este piercing é originário das populações árabes, para as quais representa a passagem para a idade adulta e portanto a sua realização prevê um importante e rico cerimonial. Entre os europeus, os primeiros a adotar este tipo de piercing foram os franceses da Legião Estrangeira, que voltavam do norte da África com estes ornamentos posicionados normalmente no lado esquerdo do escroto.
Guiche
O furo é praticado no sentido horizontal na porção de pele entre o escroto e o ânus, e trata-se de um dos piercings mais complexos de realizar e utilizar, sobretudo para quem passa muito tempo sentado. Também este piercing, entre os homens nativos do Sul do Pacífico, é praticado como ritual de passagem durante a puberdade.

Piercings femininos
Inner Labia
Trata-se do piercing genital feminino mais difundido. O furo é praticado nos pequenos lábios da vagina, e visto que nessa parte do corpo a carne é relativamente fácil de furar, o piercing é pouco doloroso e de rápida cicatrização.
Outer Labia
Este piercing é efetuado em todo o comprimento dos lábios externos da vagina, embora seja desaconselhável furar a parte muito em baixo, para evitar problemas ao sentar. O furo nos grandes lábios requer uma cicatrização mais longa respeito à dos pequenos lábios, visto que a carne é mais espessa. Atualmente, este piercing tem uma valência fortemente sexual e muitas vezes indica uma ligação sentimental. Na Roma antiga, na Etiópia, na Índia e na Pérsia furavam ambos os lábios das escravas e introduziam um cadeado para impedir que tivessem relações sexuais e garantir a sua castidade.
Hood
Este piercing aplica-se na porção de pele que recobre o clitóris e pode ser realizado tanto no sentido horizontal quanto vertical, aplicando uma argola ou uma barrinha. A cicatrização é rápida e a jóia provoca uma estimulação direta do clitóris.
Clitoris
A sensação que o piercing no clitóris provoca é muito forte, e portanto está se tornando um dos piercings genitais femininos mais pedidos. O clitóris pode ser furado tanto no sentido vertical quanto horizontal, furando a base no centro. Naturalmente a experiência, o profissionalismo e a abordagem psicológica do piercer são muito importantes nesta operação. A cicatrização não é muito longa e difícil.

BODY PIERCING - GALLERY - PIERCING GENITAIS (solo per adulti)